DESASTRO

Neto Machado (BA/PR)

Dia 07 15H 

Teatro Arthur Azevedo

 

Desastre (do grego: "má estrela”, “astro que foge de sua

órbita normal”). Desastro é uma peça neon, um futuro

congelado no tempo, um universo de excentricidade

espacial, um lugar onde o que há de mais digital é o

corpo, um universo construído a partir de um vômito

de luz. Desastro é tão apoteótico quanto um strobo

forjado pela mão no interruptor do quarto. Desastro

é uma peça anos luz à frente do seu tempo.

 

Concepção e direção: Neto Machado

Criação e performance: Bernardo Stumpf, Isaura

Tupiniquim/Daniella Aguiar, Jorge Alencar, Jorge Oliveira e

Neto Machado 

Edição de som e trilha: Bernardo Stumpf

Concepção de Luz: Fábia Regina

Arranjo original: Yuri Alencar

Figurino: Neto Machado

Duração: 50min.

 

NETO MACHADO começou a dançar e atuar aos nove anos, fazendo aulas de dança de rua e vendo clipes do Michael Jackson. Anos depois, iniciou uma relação direta com crianças e adolescentes ministrando aulas de dança de rua em academias de Curitiba e coordenando o pioneiro grupo Street Soul por oito anos. Hoje, é responsável por dois espetáculos de dança contemporânea infanto-juvenis com grande destaque na cena brasileira: Desastro e Kodak - apresentados mais de 50 vezes em diferentes festivais e teatros do país. Em 2013/14, Neto foi bolsista do Instituto Akademie Schloss Solitude, em Stuttgart – Alemanha, que o apoiou na continuidade de suas pesquisas. É mestre pelo programa de pós-graduação em Artes Cênicas da UFBA e dentre suas principais obras estão: Desastro (Prêmio Pró-Cultura de Estímulo ao Circo, Teatro e Dança), Kodak (Prêmio Cultura Inglesa Festival 2011), Infiltrações (Bolsa para produção em artes visuais de Curitiba), Solução para todos os problemas do mundo (Rumos Itaú Cultural Dança 2007/08) e Agora se mostra o que não está aqui (apresentado em mais de 25 cidades brasileiras, além de Madrid-ES e Stuttgart-ALE). Neto Machado atua também em diversos espetáculos como Edipous my foot (de Jan Ritsema – Holanda), “Retrospectiva” e Low Pieces (de Xavier Le Roy – França) e Spacial Confessions (de Bojana Cveijc - Bélgica).

 

Mais infos sobre os trabalhos e sobre neto no: www.netomachado.com